Idosa de 74 anos morre após ser estuprada pelo próprio filho

Em Sabará, município de Minas Gerais, a Polícia Civil prendeu um trabalhador rural de 37 anos, acusado de violentar a mãe adotiva, de 74 anos, e a irmã, portadora de Síndrome de Down. O crime aconteceu em outubro e a idosa, faleceu 40 dias após a violência, segundo a polícia, em decorrência dos abusos sofridos.

Mãe e filha foram estupradas dentro de casa, no bairro General Carneiro, onde o acusado estava passando uma temporada. Segundo informações, ele teria aproveitado a ida da irmã mais velha a Belo Horizonte para violentar a irmã adotiva, de 35 anos, que tem Síndrome de Down. 

De acordo com os oficiais, quando a mãe flagrou o filho passando as mãos nas partes íntimas da irmã, a idosa o interpelou. Foi então que ele a arrastou para um dos quartos onde estava outro irmão, que sofre de esquizofrenia em alto grau, e pediu para que ele se cobrisse enquanto estuprava a idosa.

De acordo com a Polícia de Sabará, além da conjunção carnal e anal, o acusado chegou a morder o corpo da mãe. Após os crimes, ele fugiu para Alvinópolis, onde morava com a companheira.

Abalada e sentindo dores em decorrência a violência sofrida, a idosa só revelou à filha mais velha o que havia acontecido quatro dias depois do crime. A vítima foi submetida a exames onde foram constatadas várias lesões em suas partes íntimas. Em decorrência do estupro, a vítima passou a apresentar muita dificuldade fisiológica, crise de ansiedade, desmaios e foi internada algumas vezes. No dia 22 de novembro, ela faleceu em casa.

Segundo a Polícia, durante a investigação, algumas tias do acusado relataram abusos cometidos por ele, mas não chegaram a levar os casos ao conhecimento das autoridades.

O agressor está preso preventivamente, e foi indiciado por estupro qualificado pelo resultado morte e pelo estupro de vulnerável da irmã com síndrome de down.

Fonte: Portal TV Minas.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui