Pará pode perder 450 mil doses porque pessoas não se vacinaram, diz Barbalho

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), afirmou à CNN nesta sexta-feira (3) que o estado corre o risco de perder cerca de 450 mil doses de vacinas contra a Covid-19 porque “as pessoas não estão indo se vacinar”, e os imunizantes estão próximos à data de vencimento.

“Estamos no risco de perder cerca de 450 mil doses na iminência de vencer porque as pessoas não estão indo se vacinar. Nós fizemos um esforço, o Pará comprou 1 milhão de doses de vacinas, não ficamos esperando apenas do Ministério da Saúde. Todos os 144 municípios do estado têm vacinas”, disse.

Segundo Barbalho, o Pará não atingiu a marca de 50% da população com o ciclo de vacinação completo. Ele ressaltou que a imunização é a única solução para que “a sociedade volte à vida normal”.

“Certamente todos no estado do Pará tem a compreensão que a vida tem que estar à frente de qualquer questão ideológica, e a ciência, e a pesquisa devem ser aliados neste combate ao coronavírus”, afirmou.

Passaporte da vacina obrigatório

Para incentivar a imunização da população no estado contra a Covid-19, o governo do Pará anunciou nesta sexta-feira (3) que vai exigir comprovante de vacinação — conhecido também como passaporte da vacina — a partir da próxima segunda-feira (6) em todos os estabelecimentos.

“O governo vem acompanhando as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a organização do comitê cientifico do estado, e tomou a decisão fundamental para adotar uma medida de incentivo a vacinação, de estímulo e prestígio a quem se vacinou”, disse, referindo-se ao direito de circular por estabelecimentos no estado.

“O passaporte da vacinação com uma ferramenta para quem se vacinou possa ter uma vida regular e normal. Os que optaram por não se vacinar, não venham comprometer a coletividade fazendo com que voltemos ao estado de deficiência no sistema de saúde”.

O decreto estabelece que tanto lugares públicos e privados, destacando do convívio social como pontos turísticos, bares, restaurares, cinemas, campos de futebol entre outros serão obrigatórios a apresentação do comprovante de vacina. Quem descumprir a regra poderá ser multado.

“As igrejas da mesma forma, inclusive quero registrar que todas as igrejas concordam com isso, que podem ter totalidade de público desde que seja o público vacinado”, contou à CNN.

“Quem não está vacinado, fique em casa”

À CNN, o governador do Pará explicou que todos os estabelecimentos podem funcionar com 100% da capacidade, desde que cobrem e monitorem o comprovante da vacina na entrada dos locais.

Além disso, Barbalho falou que para as cidades do estado realizarem festas com aglomerações, como a comemoração do réveillon, será necessário que o município atinga a marca de 70% da população imunizada.

“Ou seja, pode funcionar tudo, desde que todo mundo esta ali seja vacinado. Quem não está vacinado fica em casa ou será impedido de estar nesses locais. Para os eventos de réveillon, nós estabelecemos que cada cidade do estado chegue até o patamar de 70% da vacina completa para que essas cidades pensem estrategias”, afirmou.

“São medidas para provocar o poder público a atingir a meta vacinal, chamar atenção da população para dizer ‘você que vacinou, vida normal’;  ‘você que ainda não se vacinou, vem se vacinar com a gente’. É fundamental para salvar vidas”.

Fonte: CNN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui